Tel:( 85 ) 3321-1112

Patrimônio Cultural

A cultura é o que define uma nação, um povo, um grupo étnico. O patrimônio cultural de uma dessas coletividades é o que os distingue dos demais. E essa distinção não é com o intuito de ser um elemento segregatório ou uma forma velada de preconceito, mas um meio de se construir uma identidade, seja por intermédio da arte e de suas formas de criar, fazer e viver; das obras, objetos, documentos, edificações; e dos conjuntos urbanos e demais sítios de valor histórico, paisagístico, arqueológico, ecológico e científico. A identificação e preservação desses bens culturais é algo tão importante para a humanidade como um todo, que foi criada a UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, órgão que visa defender esse patrimônio. E um dos principais fatores que devemos cultivar para preservar e defender é o respeito.

No decorrer desses 10 anos de administração da pousada dos capuchinhos, o Frei José Maria e sua equipe de funcionários fizeram questão de preservar toda a história enraizada no Mosteiro, prédio esse construído em 1934 pelos frades Italianos Lombardos.  Todo esse patrimônio, suas estruturas arqueadas e seus ambientes e jardins como também a capela de estilos clássico que relembra o gótico foram totalmente preservados e restaurados através de reformas que nunca abalaram suas estruturas de época.  As reformas foram sempre acompanhadas por amigos que trabalham na área de arquitetura, como por aqueles que querem o bem da pousada e pela própria Igreja Católica.

O trabalho de restruturação e de ampliação da pousada, veio com intuito de embelezar o rico acervo arquitetônico do antigo mosteiro, sem tirar a essência de época e de sua historicidade.  A atual administração do mosteiro sempre ficou atento as reformas e suas peculiaridades, respeitando sempre a cultura e a história dos antigos frades e da população de Guaramiranga.

Para que essa preservação se efetive, não deve ser um esforço em apenas uma frente, que são os órgãos governamentais, mas da sociedade como um todo. A valorização da cultura será desenvolvida concomitantemente com o reconhecimento da mesma pela população. A plenitude desses valores deve se dar integralmente, respeitando os regionalismos e todas as nuances e particularidades que nossa brasilidade apresenta. Precisamos coibir o vandalismo demonstrando o valor histórico de nossos monumentos e respeitar a natureza como o nosso patrimônio ecológico.  Conscientizar todos de que nossas diferenças devem ser nosso ponto de união, pois a busca da preservação de nossa identidade deve se dar pelo respeito às diferenças, pois são elas que fazem a força de nossa humanidade.

Como diria Sócrates: “O melhor de todos os homens não é um único indivíduo, mas a união de todos nós, de tudo que sabemos e construímos, é um coletivo”